Imóveis cada vez mais inteligentes

Já é possível atender quem bate à porta da sua casa de maneira remota e, até mesmo, abrir ou fechar o acesso por comandos no celular

Você alguma vez já imaginou chegar em casa com as luzes já acesas, o ar-condicionado na temperatura ideal e a sua música preferida tocando ao fundo? Pois é, o que antes parecia ser possível só em filmes de ficção, agora já é uma realidade nos imóveis inteligentes. E tudo isso graças à integração da rotina doméstica com sistemas capazes de gerenciar as inúmeras tarefas de uma casa de maneira remota e automática. Muitas delas, atividades que antes só eram possíveis de serem realizadas com a presença física de uma pessoa.

A novidade chegou com tudo no mercado imobiliário e vem recheada de recursos que simplificam o dia a dia de moradores e gestores condominiais. Que, mesmo sem estarem no empreendimento, conseguem controlar janelas e cortinas, a climatização e iluminação do espaço, a entrada e saída de pessoas, o abrir e fechar dos portões e até acompanhar o consumo de energia e água da sua unidade pelo smartphone.

E não para por aí, em Balneário Camboriú, a “Dubai brasileira”, as construtoras vem investindo cada vez mais em empreendimentos inteligentes. Que de acordo com o engenheiro de automação, Luiz da Silva Junior, com o investimento ganham uma dose extra de praticidade, conforto e segurança como diferencial. Atuando há 13 anos na região, ele garante que os condomínios estão apostando na tecnologia como facilitadora de processos, sendo que hoje é possível otimizar todos os sistemas elétricos e eletrônicos existentes em um prédio ou imóvel, sendo ele residencial ou comercial, novo ou mais antigo.

“Podemos dividir a automação predial em sistemas comuns que hoje em dia são indispensáveis para o funcionamento de um condomínio, como interfone, controle de acesso por senha ou tag, câmeras e alarmes monitorados. E, os sistemas modernos e sofisticados, que permitem que o prédio tenha processos e rotinas controlados remotamente, o que torna este um prédio inteligente”, explica Junior. Entre as novidades que estão no mercado, ele destaca a funcionalidade dos sistemas hidráulicos, que ajudam na administração do espaço. Por meio de um sistema supervisório na guarita e por aplicativo em celular, o síndico e demais responsáveis podem controlar o nível de caixas de água e cisternas, além de fazer a medição digital de consumo de água e reaproveitamento de água da chuva.

Imóveis inteligentes trazem vantagem competitiva

Ainda em fase inicial de aplicação no Brasil, a Internet das Coisas (IoT) deixará de ser encarada como mero capricho. De acordo com Matheus Clementino de Mella, diretor de desenvolvimento e qualidade da Empeltec Jr., empresa sem fins lucrativos formada por estudantes da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), no estado de São Paulo, alguns estudos indicam que os edifícios inteligentes apresentam menor taxa de vacância em relação às demais opções presentes no mercado de imóveis. “As comodidades propiciadas pela IoT já se mostram como uma vantagem competitiva, podendo ser, em um futuro próximo, quase que uma exigência no segmento imobiliário. Fato que ressalta a necessidade de arquitetos e incorporadores estarem atentos a estas inovações”, avalia Mella.

Para ele, muitas das tecnologias que estão ao nosso alcance até o momento representam equipamentos de simples instalações nos imóveis, que se conectam à própria rede wifi da edificação. Entre os mais comuns, a lâmpada inteligente que pode ser controlada a partir de um smartphone ou programada para se adequar à rotina do local, evitando o desperdício de energia; as fechaduras eletrônicas, que dispensam o uso das tradicionais chaves e permitem abrir ou trancar as portas de maneira remota – o sistema ainda notifica o responsável toda vez que a porta é acionada. Ou seja, é possível acionar antecipadamente o ar-condicionado para que o imóvel esteja na temperatura ideal no horário programado, ou até mesmo saber quando vai faltar comida na geladeira. Hoje já existem versões do eletrodoméstico com sensores capazes de avisar quando os alimentos estão acabando e enviar uma lista de compras automaticamente para um e-mail cadastrado. Há também a tecnologia View Inside, que permite que você veja o que tem dentro da geladeira, sem precisar abrir a porta.

Novidades que cabem no bolso

Engana-se quem pensa que estamos falando de algo restrito a poucos. Esse novo conceito vem crescendo nos últimos anos e tornando-se cada vez mais acessível, até mesmo com a construção de prédios inteligentes em versões voltadas para a classe média. Além disso, com a popularização da tecnologia, a automação residencial também está trazendo novidades que cabem em diferentes bolsos.

Como é o caso das assistentes de voz da Google, Amazon (Alexa) e da Apple (Siri), em que é possível executar tarefas simples, e algumas mais completas, a baixo custo. Com investimento a partir de R$ 250 você tem acesso a uma assistente virtual, pela qual pode criar uma agenda de compromissos, consultar o trânsito ou a previsão do tempo, reproduzir uma lista de músicas, tudo por comando de voz. Além disso, o sistema ainda pode interagir com eletrodomésticos, lâmpadas inteligentes, fechaduras, termostatos, controles remotos, TVs, sensores de movimento, interruptores etc. Tanto por comandos de voz quanto pelos aplicativos dedicados à automação de tarefas.

De acordo com Mella, existem hoje no mercado muitos sistemas de automação para quem procura custo-benefício. Com instalação rápida e o mínimo de intervenção, entre seus diferenciais está a possibilidade de controlar a casa remotamente de maneira confiável através de aplicativo que mostra quais dispositivos estão ligados ou não. Além de se integrar facilmente a motores de cortina e janelas, câmeras, equipamentos, eletrodomésticos e assistentes de voz. “Outro ponto a favor é que esses sistemas usam a fiação elétrica já existente no imóvel para instalação dos equipamentos. Desde pequenos apartamentos até grandes casas, sem problema de delay ou falha no envio de comandos”, explica.

Tendências

Segundo Mella, em um futuro não muito distante teremos câmeras que vão utilizar a inteligência artificial para identificar uma pessoa comparando seu rosto com aquele que está cadastrado em sua rede social. Além disso, sensores de segurança não só enviarão alertas quando alguém tenta entrar na casa, mas também quando os aparelhos “identificarem” que há algo de errado no ambiente.

Ainda pouco divulgado, dispositivos como o Cocoon, que detecta sons de baixíssima frequência, ou Lisnr, que monitora agudos extremos, também estarão mais presentes nos condomínios. Ambos analisam a rotina da casa para identificar os parâmetros “normais” de som e enviam alertas quando algo foge dessa normalidade. É o que permite, por exemplo, detectar um vazamento de água ou um perigo de fogo a tempo de evitar tragédias.

Para Marcos Rizzo Mendonça, CEO da IouTility e mais de 30 anos trabalhando com tecnologia, a tendência é que as aplicações avancem combinando três pilares: segurança patrimonial, segurança pessoal e eficiência energética e hídrica. No primeiro, a preocupação é manter e conservar o patrimônio, seja contra furtos ou situações que o coloque em risco (incêndio, vazamento de gás etc). Já no segundo é a plena integração em uma rede inteligente de sensores de presença, câmeras de segurança, sensores de fumaça, entre outros. E o último pilar é a procura pelo uso sustentável dos insumos de água, gás e eletricidade, que ajuda na redução dos custos mensais.

“Imaginar o cenário em 10 anos é algo que pode ser bem futurista, pela rápida evolução da tecnologia. Mas um fato é que a sua casa poderá ser controlada na palma da mão, por meio de um dispositivo móvel, de onde você estiver. E, a combinação desses três pilares leva à natural valorização do imóvel”, analisa Mendonça.

Confira alguns sistemas que já estão disponíveis nos condomínios

• Comunicação – Rede sem fio de alta velocidade com controle de banda por usuário e vídeo porteiro com atendimento do morador por aplicativo de celular de fora da residência.

• Segurança – Controle de acesso e sistemas de câmeras por reconhecimento facial.

• Sistemas de gás, elétricos e hidráulicos – Controle total da iluminação e de todas as persianas e cortinas do condomínio, por acionamento remoto ou via agendamento. Além disso, com esses sistemas também é possível fazer a medição digital de consumo de energia elétrica e de geração de energia renováveis por painéis solares e gerador eólico.

Sistemas inteligentes medem o consumo de água, gás, o funcionamento de bombas e de caixas d’agua monitorando possíveis vazamentos.

• Climatização – Controle de todos os aparelhos de ar-condicionado e ventilação do edifício, também por acionamento remoto ou agendamento.

Por: Condomínio SC


Produzido por : Base Software