Como o seu condomínio pode contribuir para evitar queda em idosos? Veja!

O envelhecimento é um processo natural em que com o passar dos anos o corpo se torna mais frágil e requer mais cuidado

É importante lembrar que os idosos precisam de uma atenção especial, tanto nas estruturas físicas onde vivem como em atitudes dos que o rodeiam. O tempo de vida que lhes trouxe experiência já não lhes permite tanta agilidade nos movimentos. Condomínios devem estar preparados para estes moradores. Rampas, corrimões nas escadas e faixas antiderrapantes em calçadas e degraus são alguns dos cuidados essenciais para a segurança dos idosos.

O melhor amigo do idoso é o porteiro do seu prédio, e o pior inimigo é o motorista de ônibus. As conclusões são de uma pesquisa coordenada pelo professor Alexandre Kalache, especialista em terceira idade, no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro.

O zelador Neto Zailo, concorda com o resultado da pesquisa. “Sempre procuro ajudar, abrindo uma porta ou auxiliando no que for possível”, observa. O reconhecimento à atitude por parte dos idosos é instantâneo. “Por terem mais tempo eles retribuem com uma atenção especial. Gostam de conversar”, diz o zelador.

Segurança

Preocupados com a segurança dos moradores idosos, cada vez mais condomínios estão se adequando com a instalação de corrimões, pisos antiderrapantes e rampas para a prevenção e auxílio na locomoção desses moradores.

Estima-se que há uma queda para um em cada três indivíduos com mais de 65 anos e que um em 20 daqueles que sofreram uma queda sofram uma fratura ou necessitem de internação. Dentre os mais idosos, com 80 anos ou mais, 40% cai a cada ano. Dos que moram em asilos e casas de repouso, a frequência de quedas é de 50%. Os dados são do INTO (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia).

“Após hospitalização por queda, algumas complicações podem culminar com morte. A queda foi considerada um dos preceptores de mortalidade em estudo realizado no exterior”, aponta o médico especialista em geriatria, Mauro Montaury de Souza.

O especialista chama a atenção para fatores de risco ambientais que podem alcançar, conforme o estudo, até 50% das quedas entre os idosos da comunidade.

Algumas precauções simples que fazem a diferença

  • Na limpeza de corredores evite resíduos que possam ter sabão ou detergentes
  • Não use tapetes ou panos em corredores
  • Áreas poucos iluminadas ou com luzes queimadas podem propiciar acidentes
  • Locais de aclive ou declive devem ter corrimão e placas informando da sua existência
  • Coloque placas, números, nomes ou informações em locais estratégicos, bem visíveis e de fácil acesso
  • Quando estiver acontecendo qualquer obra ou limpeza no piso do prédio, coloque placas de alerta.

Fonte: CondomínioSC


Produzido por : Base Software